HOME QUEM SOMOS COLUNISTAS ESPECIALIZADOS PROPOSTA EDITORIAL TUTORIAL FALE CONOSCO
   
ASSUNTOS
   
  ASTROLOGIA
  ESOTERISMO
  MAÇONARIA
  MAGIA
  MITOLOGIA
  RELIGIÕES
  ROSACRUZ
  SOCIEDADES SECRETAS
  TEOSÓFICA
  ARTES CÊNICAS
  ARTES PLÁSTICAS
  ARQUEOLOGIA
  AUTOMOBILISMO
  AVIAÇÃO
  BIODIVERSIDADE
  CIÊNCIAS
  CULINÁRIA
  DIREITO
  ESPAÇOS CULTURAIS
  ESPETÁCULOS
  ESPORTES
  ESPORTES AÉREOS
  ESTÉTICA E BELEZA
  HISTÓRIA
  INFORMÁTICA
  LITERATURA
  MEDICINA E SAÚDE
  MODA
  MONARQUIA
  MUSEUS
  NOTÍCIAS
  OVNIS
  POLÍTICA E ECONOMIA
  PSICOLOGIA
  TURISMO
  UTILIDADE PÚBLICA
 
 
ANGELOLOGIA | CRISTAIS | CRISTALOTERAPIA | CROMOTERAPIA | FENG SHUI | I CHING | INCENSOS | IRIDOLOGIA
MISTÉRIOS | NUMEROLOGIA | ORÁCULOS | PERFUMES | RADIESTESIA | TARÔ | VELAS
 
 
 

ESOTERISMO

Mecanismos de Proteção da Casa, do Corpo Espiritual e do
Corpo Físico. Mago Selaht.

A escolha e a proteção adequadas de uma casa e dos que vivem nela pode ser simples ou pode tornar a sua vida um inferno. A escolha é sua. Não deixe que, apenas para provar que tudo que vamos dividir com você é bobagem, venha a prejudicá-lo e às pessoas que você ama.

Faça de sua casa um lar de luz e paz.

Limpe o espaço espiritual de sua casa.

Para ter uma ”casa limpa” não basta fazer uma faxina no “campo material”, é preciso uma limpeza no “campo espiritual”. “O que está em cima é como o que está em baixo.” (Hermes Trismegisto).

Tudo começa pela escolha do local.

Construção nova.

Construção antiga.

Condomínios e apartamentos.

Para casa a ser construída: as condições do terreno devem ser verificadas.

O número é muito importante: segundo a Cabala, o número 4 e os números cuja soma reduzida seja 4 devem ser evitados a tudo custo. Ex: 13, 121, 211 - a soma deles é quatro. Nos países orientais e nos Estados Unidos, os prédios não têm décimo terceiro andar.

Verificar se o terreno tem pontos de vibração telúrica ou remanências negativas. Consulte um Radiestesista. Ele poderá também indicar o lugar exato onde poderá ser escavado um poço com água de qualidade para consumo de sua família e irrigação.

Vibrações telúricas negativas podem ser corrigidas, mas devem ser evitadas. Para correção, após a pavimentação do radier(1), cobrir com duas demãos de impermeabilizante asfáltico toda a extensão do contrapiso; o preto isola as vibrações telúricas (provenientes do subsolo). Em diversos países, esse procedimento já é adotado rotineiramente e sem maiores explicações, faz parte do “código de obras”. Ajuda também o isolamento da umidade (essa é a desculpa usada pelos que não querem assumir a realidade espiritual). É adequado que a fachada seja virada para o leste.

Os quartos devem ser projetados de forma que as cabeceiras das camas estejam voltadas para o Norte; a razão está no alinhamento energético do corpo com a energia terrestre que flui no eixo Norte-Sul. Como nosso sangue contém ferro, este metal é puxado pelo magnetismo aumentando a irrigação do cérebro e facilitando a diminuição do ritmo cardíaco.

Um especialista em Feng-Shui poderá orientar sobre a melhor planta para que sua casa seja o lugar ideal de harmonia.

Para maior proteção é recomendável enterrar um fio de cobre, cercando todo o terreno onde a casa será construída. Cavar uma valeta de uns trinta centímetros de profundidade e nela enterrar o fio. O encontro das pontas desse fio deve ser soldado, formando uma circunferência.

Construir em locais onde já foram matadouros, cemitérios, hospitais e outros lugares de sofrimento deve ser evitado, mas se de todo não for possível, a aplicação do asfalto no piso é imprescindível.

Construção antiga.

Os mesmos procedimentos quanto à escolha do número e a “medição radiestésica”.

Obras de reforma com construção de paredes ou demolição podem bloquear ou desviar fluxos de energia. Consulte um radiestesista e evite as possíveis doenças resultantes da permanência no local.

Um famoso ator de TV, cujo nome não estamos autorizados a divulgar, consultou o prof. Georges Charbel para descobrir porque seus cachorros estavam morrendo de câncer e foi descoberto que, na reforma recente, uma parede havia sido levantada alterando o fluxo energético do apartamento. Era justamente o lugar onde os cachorros ficavam. Demolida a parede, o problema acabou.

O prof. Charbel acabou sendo consultor da Rede Globo tendo, inclusive participado como consultor na novela “Mandala”.

Impregnação e desimpregnação

A arte-ciência da Radiestesia e sua consequência, a Radiônica, são comprovadas desde tempos pré-históricos.

A radiestesia, também conhecida como rabdomancia, pode apontar cargas negativas, formas de pensamentos negativos e presenças espirituais negativas, segundo o radiestesista francês Georges Charbel Farah, maior autoridade no assunto, vivendo no Brasil.

A mediunidade é também uma forma de comprovar a hipótese da impregnação. Mesmo os céticos podem fazê-lo. Um médium que tenha a faculdade de tocar objetos ou visitar locais antigos pode dizer quem habitou ou foi proprietário da imóvel ou objeto. Como comprovar? É fácil: antiquários costumam ter a história da peça que adquirem em leilões; é só deixar que o medium toque as peças escolhidas a esmo e comprovar com os registros do antiquário. Funciona? Nós mesmos fizemos a experiência e, em alguns casos, chegamos a descobrir vários proprietários do objeto ou do imóvel. Essa emanação chama-se impregnação e é como a radiestesia, pode identificar cargas energéticas.

A “Transcomunicação instrumental”, trabalho científico desenvolvido pela D. Sonia Rinaldi e sua equipe tira qualquer dúvida sobre a vida após a morte e a interação entre desencarnados e encarnados.

Em alguns casos é preciso descascar paredes e tetos para desimpregnar o ambiente; em outros casos só demolindo o imóvel. É o caso do Edifício Joelma em São Paulo, Brasil.

No incêndio do edifício Joelma em São Paulo, Brasil, dezenas de pessoas morreram queimadas e com grande sofrimento. Fantasmas têm sido vistos e ouvidos no interior do prédio, onde poucos querem manter escritórios.

Casas assombradas podem ser resultantes de locais em que pessoas forram assassinadas ou morreram em grande sofrimento, como senzalas, antigas prisões, hospitais e lugares semelhantes.

Há procedimentos que podem curar esses locais, mas não cabe, neste momento, tratar deles. Nós o faremos em outro momento em EXORCISMOS, um capítulo específico de nosso livro “Magia passo a passo, a escada de Jacó”.

Uma forma de amenizar ou até terminar com o problema é retirar o emboço das paredes e pisos, descartando o entulho fora do local e procedendo a novo emboço e colocação de pisos.

Condomínios e Apartamentos

Consultar um radiestesista. Observar o número do prédio ou terreno e do apartamento; se possível, conhecer a história do imóvel. Prédios de apartamentos para o mundo espiritual são como casas de muitos quartos: se possível, evitá-los. Pode ter ocorrido algo no prédio que venha a prejudicar todos que morarem nele. Há um programa da televisão americana que trata exatamente desses fenômenos e os detecta através de instrumentos, como gravadores de alta sensibilidade e câmeras FLIR infravermelho, e há, ainda, quem duvide.

Como limpar um ambiente no campo espiritual?

Limpar um ambiente significa desimpregná-lo de energias negativas.

Siga o passo a passo:

O procedimento deve ser feito preferencialmente logo após o nascer do sol de um sábado, dia sagrado que começa no pôr do sol de sexta-feira e termina no pôr do sol do sábado, quando esotericamente começa o domingo, primeiro dia da semana.

Retire do imóvel o que não estiver em uso, móveis, louças, papéis, fotos, roupas etc. Faça circular energias novas.

Essa ação vai provocar uma espécie de “vácuo”, que puxará novas energias para o ambiente.

Faça uma limpeza geral incluindo paredes, tetos e interiores de móveis, arraste-os limpe atrás e por baixo.

Proceda agora nova limpeza como descrito abaixo.

Ingredientes para a limpeza: em um balde novo com água, coloque 40 mililitros de amônia (corresponde mais ou menos a quatro tampinhas da embalagem de litro) e um pouco de essência de alfazema. Passe em toda casa com um pano virgem, começando pelo teto paredes e finalmente assoalho.

O pano usado na limpeza deve ser descartado ou preferencialmente queimado.

Após a limpeza, dissolva, em um litro de álcool de cereais, oito pedras de cânfora e borrife os cantos das paredes internas da casa, e nas quinas das portas.

Perfume o ambiente sem usar alfazema; use um perfume floral ou outro de seu agrado.

Defumação (Fumigação)

Pode-se defumar a casa, mas, neste caso, apenas com olíbano, mirra, benjoim e canela, sobre carvão incandescente.

Varetas de incenso não servem, porque são feitas atualmente de essências sintéticas, não naturais. (veja explicação completa sobre este tópico em outra parte deste livro).

Após terminar a limpeza do ambiente, as pessoas que estiveram presentes devem tomar um banho completo da cabeça aos pés com sabão de coco ou similar, sem perfume, e enxaguar normalmente.

Antes da ocupação de um imóvel, limpe-o como descrito, fica bem mais fácil.

Feche o imóvel a presenças espirituais não desejadas.

Oração: o poder do “verbo”, da palavra: acredite ou não, conhecendo nossas fraquezas e vulnerabilidade, o Criador colocou Anjos para que nos protejam e guardem. Invoque seu “Anjo da Guarda” e o “Anjo do Lar”, faça uma oração em voz alta pedindo-lhes que guardem seu lar e protejam seus familiares.

Os judeus usam no lado direito (lugar de honra) pregado no umbral da porta, a ”Mezuzá*”, que contém um fragmento do Livro da Lei, a Torá. É uma forma de lembrar que o recinto é consagrado e protegido pelo Senhor. A oração tem poder. Use essa bênção de D’us a seu favor.

Todos somos filhos do mesmo Criador.

*Mezuzá" é a palavra hebraica para designar umbral. Consiste em um pequeno rolo de pergaminho (klaf) que contém duas passagens bíblicas, manuscritas, "Shemá" e "Vehaiá". A mezuzá, dentro de uma caixa de madeira ou metal que deve ser afixada no terço superior do umbral direito da porta de entrada da casa e de cada dependência de um lar ou estabelecimento judaico, obedece ao seguinte mandamento da Torá: "Escrevê-las-ás nos umbrais de tua casa, e em teus portões" (Deuteronômio VI:9, XI:20).

Faça da sua casa um lar de luz: local limpo e consagrado onde habitam harmonicamente pessoas sensíveis ao bem e que praticam a fraternidade, o altruísmo e a obediência à vontade do Criador.

Que a paz do Santíssimo Criador esteja em vossa casa e em vossa vida para toda a eternidade. Mago Selaht

(1) Radier. [do Francês]. É a base sobre a qual se ergue uma casa.

Proteção do corpo espiritual e físico.

No passado eram usados amuletos, pentáculos e outras formas atávicas de proteção: nossos antepassados não estavam de todo errados. Os sumo sacerdotes hebreus usavam um peitoral de ouro com 12 pedras símbolos das doze tribos, mas esotericamente com significado mais profundo. Mago Selaht

Essa proteção começa pelo corpo espiritual:

Como está o estado de saúde, se há obsessores (encostos) tentando interagir com a pessoa.

Tudo isso pode ser analisado usando-se um pêndulo, pela radiestesia. É fácil e o diagnóstico é preciso. O ideal é aprender como; é um aprendizado que vai servir por toda uma vida.

A roupa protege: por essa razão os magos e membros de fraternidades esotéricas usam o balandrau negro (os padres também usam batina negra).

Cristais podem servir para proteção: recomendo o uso de uma pedra de sal bruto (sal grosso virgem não moído). A turmalina negra também serve, mas o custo é alto e a pedra pode até partir dependendo do nível de obsessão.

Use o sal junto ao corpo: coloque de forma a ter contato com a pele antes de sair de casa e após o banho. Descarte antes de entrar em casa. A chuva encarregar-se-á de dissolver o sal, levando o perigo junto.

Plantas podem ajudar: o famoso galho de arruda, ruta oficinalis, é um exemplo da sabedoria popular; entretanto, o ideal é que seja plantado. São sete as ervas de proteção. O ideal é plantá-las entre outras plantas, em um jardim, na entrada da casa, ou se não for possível, em um vaso.

Arruda: uma das ervas mais poderosas para combater a inveja. A arruda já era conhecida e usada nas antigas Grécia e Roma. Foi popularizada no Brasil, pelos escravos, na época da colonização. Quando colocada num ambiente, além de proteger, emite vibrações de prosperidade e entusiasmo. Podemos ter sempre um galho de arruda junto ao corpo para reter as energias negativas. Pessoalmente, prefiro o sal que não deixa cheiro.

Guiné ou Pipi: tem o poder de criar um "campo de força" de proteção, bloqueando as energias negativas e emitindo vibrações otimistas. Atrai sorte e felicidade. Cria uma energia de bem-estar nos ambientes.

Alecrim: tonifica as pessoas e os ambientes. É considerado também um poderoso estimulante natural, favorecendo as atividades mentais, estudos e trabalho. Favorece e fortifica o ânimo e vitalidade das pessoas. Agindo em conjunto com arruda, "segura" as energias de inveja. É um tempero delicioso.

Comigo-ninguém-pode: afasta e quebra todas as energias negativas dos ambientes. O nome da planta já diz tudo. Em uso conjunto com a espada de São Jorge quebra-feitiços, e emissões negativas de pensamento. Além destes superpoderes é uma planta muito bonita para qualquer ambiente. Deve ser evitada por famílias com crianças, pois é uma planta altamente tóxica.

Espada de São Jorge: por causa de suas folhas pontudas é facilmente associada ao poder de cortar as energias negativas, como a inveja. Alguns dizem que espanta os maus espíritos. Ao cortar as energias negativas, a planta atrai coragem e prosperidade.

Manjericão: tem a propriedade de acalmar e trazer paz de espírito a todos. Ao acalmar as tensões, afastamos os pensamentos negativos e nuvens negras, além do delicioso sabor que passa como tempero da cozinha italiana e do sul do Brasil.

Pimenteira: combate as energias pesadas e ariscas. É uma planta de vibração estimulante, afrodisíaca, tonificante e atrai boas energias para o amor. É muito usada no Oriente.

A proteção pode ser aumentada com um comportamento digno e pelo poder da oração. Uma pessoa limpa e pura resiste a interferências malignas.

Cadeia de união: é um círculo onde os integrantes dão as mãos. A egrégora formada equilibra as energias, que são compartilhadas e harmonizadas. Os que tiverem mais doam aos que tiverem menos, seja por saúde ou outra razão espiritual.

Recepção de visitantes e convidados.

Receba em sua casa apenas amigos e pessoas confiáveis.

Há uma forma de convidar para entrar. Convido apenas (diga os nomes das pessoas autorizadas) e ninguém mais para entrar. Pode parecer estranho, encare com humor.

Explicação: entidades obsessoras não sabem que podem entrar nas casas atravessando paredes, portas ou janelas e só entram se forem convidadas, mas podem estar encostadas nos visitantes que serão convidados a entrar e então os acompanham.

Proteção adicional: colocar um copo com água filtrada e uma colher das de sobremesa de sal; não precisa ser grosso, o melhor é que fique discretamente na altura da cabeça em uma prateleira colocada internamente na entrada da casa. Espíritos são ávidos de água, ligeiramente salgada como o suor, nosso corpo é constituído de 63% de água. Essa é a razão. A última sensação antes da morte é a de sede.

No capítulo que trata de Vampirismo, mostraremos pormenores sobre o tema e como reconhecer e evitar sugadores de energias.


BENÇÃOS, ENCANTAMENTOS E MALDIÇÕES.

Mago Selaht

Do livro “Magia passo a passo, a Escada de Jacó”

“Tentar fazer mal a um ser vivente, seja pessoa, animal ou planta, não agrada ao seu criador, D’us, que os hebreus chamavam de Senhor Meu” (Adonai).

Dos Espíritos:

Há espíritos bons e espíritos maus, como há pessoas boas e pessoas más. A índole boa ou má de uma pessoa não é alterada pelo fato de ela ter perdido o corpo físico e ser agora um ser desencarnado.

A simples proximidade de um espírito desencarnado maligno pode alterar o nosso campo vibratório ou campo áurico e levar a doenças físicas e a perda de energia.

Vampirismo:

Sugadores de energia.

A perda de energia é tratada no capítulo Vampirismo, de nosso livro Magia Passo a Passo, a Escada de Jacó e pode ser visto neste Portal - ESOTERISMO / Mistérios.

O ato de crer ou não crer não invalida os encantamentos ou maldições, mas pode, no caso de não se crer, criar uma certa barreira que dificulta a agressão espiritual.

Tomamos por exemplo a maldição de um Faraó, Tutankamon, o Faraó Menino, aos arqueólogos que descobriram e profanaram sua Mastaba. Todos os que participaram da abertura da sala mortuária morreram de forma estranha.

Fica difícil conversar com pessoas que não são capazes de encarar o encantamento e a maldição cientificamente, por questões dogmáticas religiosas ou por ignorância mesmo, já que duvidar a priori de um fato sem estudá-lo é anticientífico.

O equilíbrio entre Bem e Mal.

A Cabala nos revela uma tabela de anjos de D’us, chamada pelos antigos estudiosos de tabela da direita. A ela corresponde uma tabela da esquerda ou dos anjos decaídos, que erroneamente são chamados de demônios (do Gr. daimon, que significa apenas espírito, não se lhes atribuindo qualidade alguma, se do bem ou do mal).

É bom que se saiba que contrariar a vontade de D’us desejando mal não é uma coisa digna a se fazer.

O ciclo da maldição ou do encantamento

Qualquer trabalho de maldição ou encantamento depende muito do poder de volição do oficiante (é preciso desejar ardentemente que a maldição se realize) e de elementos que liguem, conectem o que pronuncia a maldição ao amaldiçoado, o testemunho.

Testemunhos: pedaços de roupa usada, objetos de uso pessoal ou pedaços de pele, sangue, urina, cabelo, saliva, unhas, enfim, que sejam parte da pessoa que vai ser amaldiçoada.

Há uma tendência moderna de associar o encantamento e a maldição à magia e a complicados rituais. É bem verdade que os magos não se dedicam a tal prática. Apenas alguns seres abjetos são capazes de praticá-los. O mago sabe que a maldição e o encantamento percorrem um ciclo, ou melhor, um círculo e que voltam sempre ao ponto de partida, que é aquele que proferiu a maldição ou encantamento é o que os espíritas chamam de choque de retorno.

A bênção e a maldição.

Aquele que é capaz de pronunciar uma bênção, também tem poder para pronunciar uma maldição.

A benção sai da alma acompanhada de um intenso desejo e certeza de que será realizada é poder de volição. Não me refiro as que são pronunciadas pelos sacerdotes mecanicamente em geral, e que não têm nenhum efeito prático.

Quem pronuncia uma maldição, a bem da verdade, estará prejudicando a si próprio, pois que esse poder de volição não deve jamais ser usado para o mal. Aquele que assim o fizer será indigno diante de D’us.

Formas negativas de pensamento.

É possível criar, com formas de pensamento, elementos que venham a prejudicar pessoas, plantas, objetos. Uma experiência prática pode facilmente demonstrá-lo ao mesmo tempo em que pode ser usada para testar o poder da bênção e o dom da cura. Para tal, devem ser usadas sementes de plantas de fácil crescimento, escolhidas a esmo, de forma que não haja uma ou outra de melhor qualidade e plantadas em igual número em três vasos de planta de tamanho igual e material igual. Dentro deles será colocado um composto de terra, esterco e nutrientes, pesados para que tenham peso igual para os três vasos. Nestes vasos, a uma profundidade medida, serão colocadas as sementes e cobertas com igual quantidade de terra. As três plantas deverão ser colocadas em lugar onde permanecerão e regadas adequadamente sempre com a mesma quantidade medida de água. Os vasos deverão ter uma distância entre si de cerca de 50 centímetros e estarem todos expostos a igual quantidade de luz e sombra.

Início da experiência:

Escolher a esmo um dos vasos. Impôr as mãos sobre o mesmo, fazer uma prece e desejar que planta cresça viçosa, sem pragas e rapidamente. Escolher entre os dois vasos restantes, mais um e impor as mãos sobre ele desejando que a plana morra. No terceiro vaso (que é o vaso de controle), nada fazer. Esse será o vaso neutro para controle. Conforme já foi dito, regar sempre com quantidade igual de água usando o medidor graduado e repetir sempre que regar a bênção e maldição sobre os vasos destinados à bênção e à maldição.

Incrível será o resultado: a planta abençoada chega a crescer 70% mais em relação à planta-testemunho, de controle, a amaldiçoada pode não chegar a germinar ou tornar-se raquítica e cheia de doenças, morrendo depois.

Ao terminar a experiência, não se esqueça de pedir a D’us perdão por ter destruído a planta amaldiçoada e que isso é feito apenas como demonstração para os incrédulos, e unicamente para despertamento da fé.

Acreditamos que após esta experiência ninguém mais duvidará de que a bênção e a maldição são possíveis e reais.

Maldições e pragas

No século XVI, o autor alemão Johann Weyer, geralmente cético sobre a eficácia das maldições e das pragas diz “Se algum sinistro vier a acontecer ocasionalmente será visto como resultado de maliciosas imprecações feitas pelos pais contra seus próprios filhos. Isso não invalida meu ponto de vista, de forma alguma, mas devido a peculiar afinidade congênita entre pais e filhos. Por essa razão, Deus, algumas vezes, amedronta com exemplos” (de que as maldições são, de fato, reais) (1).

Johann Weyer, in De Praestigiis Daemonum, edição de 1583.

O autor Keithoms em sua obra Religion and Decline of Magic (Oxford, 1971, p. 512), diz “quando uma mulher de língua perversa amaldiçoar alguém, a morte virá logo depois.” (2)

Um pedido de justiça

Quando o Papa e Felipe, o Belo, de França, concluíram que a dívida em dinheiro para com a Ordem dos Templários (3) era impagável, pois os cofres de França e do Vaticano estavam “vazios”, decidiram por tornar proscrita a Ordem Templária, em 22 de novembro de 1312, julgar no Tribunal da Inquisição seus membros e condená-los à morte pelo fogo. O Grão-Mestre Jacques du Molay foi cremado em praça pública, em frente à Catedral de Notre Dame e durante sua agonia pronunciou a seguinte frase: “Nakan Adonai. Conjuro o Papa e o Rei de França a comparecerem perante Deus no prazo de um ano.”(4)

O Grão Mestre dos Templarios, Jacques du Molay não teve poder para mudar o seu destino, mas teve suficiente poder de volição para ver cumprido seu pedido de justiça.

A Ordem du Molay está hoje espalhada pelo mundo.

Notas do autor:

(1) O elo existente entre pais e filhos chega a ser tão forte que podem sentir à distância quando um acidente ocorre. Uma angústia, um grito, um sonho premonitório ou revelador.

(2) Vemos aí, uma opinião contraditória. O que ocorre é que a maldição e a bênção são a mesma ferramenta, usada na forma amorosa da bênção e da odiosa maldição e dependem, fundamentalmente, do poder de quem as pronuncia.

(3) A Ordem Religiosa de Cavaleiros que guardavam a Cidade Santa de Jerusalém e que inventou a Carta de Crédito para que os viajantes não fossem assaltados durante sua peregrinação. Adquirida na cidade de origem, no convento templário, era resgatada no destino, Jerusalém. Na volta, ocorria a mesma coisa, nova carta de crédito a ser resgatada na cidade de destino. Essa operação, que era cobrada como hoje, rendeu aos Templários imensa fortuna, que era usada como empréstimos a diversos reinos na Europa e, inclusive, ao papado.

(4) para serem julgados pelo fato sabido de que o Papa diz ser o representante de Deus na Terra e o Rei de França era tido como Rei pela Graça de Deus. Absurdo que permanece até hoje.

Nakan Adonai, em hebraico, significa “Justiça, meu Senhor” (D’us).

Os fatos narrados aconteceram e são históricos. São prova histórica do delito da calúnia e da cobiça, roubo e assassinato cometidos por um supremo dirigente do clero católico, com a cumplicidade do Rei de França.

Os bens da Ordem dos Templários foram divididos entre a Igreja que os deu à Ordem de São João e Felipe, O Belo, Rei de França.

M. Selath.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

VAMPIRISMO

Realidade ou produto de imaginação?

Mago Selaht

Do livro Magia passo a passo, a Escada de Jacó.

A vulgarização do tema pelos livros e pelo cinema retira da seriedade o assunto e confunde a relação entre ficção e realidade. Não obstante, de fato, vampiros existem.

O que é vampirismo?

É a criação de uma relação simbiótico-patológica voluntária ou não, que pode ocorrer com seres vivos entre si e entre vivos e desencarnados.

Porfiria é o nome de uma patologia do sangue que causa a decomposição da hemoglobina e leva seus portadores a uma carência de glóbulos vermelhos. Anemia, fotofobia (aversão à luz) e retração das gengivas são outros sintomas. A carência de sangue leva o doente instintivamente ao consumo de carnes sangrentas e cruas.

A descoberta pode levar à ingestão de sangue de animais in natura e até ao sangue humano, se o doente tiver desvio de personalidade ou carência extrema, já que a necessidade de reposição é crucial para o portador de porfiria.

Na Idade Média, muitos doentes com essa moléstia foram sacrificados pela Igreja como seres do mal, “vampiros de satanás”, assim como outras doenças mentais e físicas.

O vampirismo está à nossa volta.

Asilos, hospitais, depósitos de mendigos e penitenciárias são locais favoritos, pois são lugares onde estão pessoas carentes e ou em sofrimento. Semelhante atrai semelhante.

Como são os vampiros?

Excetuando-se os descritos como de sangue, são seres humanos que sofrem de uma disfunção psicológica e precisam recuperar suas energias sugando-as de seres vivos, inclusive animais e plantas, e não pela alimentação e pela respiração como fazem as pessoas normais.

Quais são os tipos de vampiros?

Os vampiros de sangue, que, ao morrerem, tornam-se vampiros espirituais, sugando a essência vital de suas vítimas como entidades também chamadas vulgarmente de “encostos”.

Encostos são todos os espíritos obsessores. Subdivididos por seus atributos negativos, vícios e desvios de comportamento, cuja morte não altera.

Neste trabalho abordamos unicamente os vampiros sugadores de energia vital que, para simplificar, chamamos pelo nome mais popular, embora genérico (nosso grifo).

Ha casos de corpos que não se decompõem após a morte mesmo sem terem passado por processo de conservação. Esses corpos mantêm a coloração da pele, o tônus muscular e não têm odor característico.

E possível que seus espíritos, apegados à matéria, de algum modo sejam capazes de estabelecer uma ressonância com a energia vital mantendo seus corpos preservados dos efeitos da morte?

Há relatos por todo o mundo. Muitos desses casos considerados pela Igreja Católica como Santos, alguns exalando odores de perfumes.

Os vampiros emocionais, que prendem pelo lado emocional, absorvem energia de suas vítimas sem o saberem. Normalmente são apegados a costumes e vícios que têm em comum com suas vítimas, como o alcoolismo, o tabagismo e as práticas sexuais pervertidas. São vampiros por afinidades, encostos que absorvem a essência dos seus vícios, levando suas vitimas ao consumo cada vez maior e mais freqüente. O mesmo ocorre com os encostos.

O simples fato de sentirmos piedade de uma pessoa desse tipo pode levar-nos a estabelecer um elo que facilita o vampirismo.

O sentimento deve ser o amor.

Os viciados em sexo podem estar nessa categoria.

É possível livrar-se de um vampiro?

Sim. A melhor maneira é afastar-se.

Os vampiros espirituais precisam ser exorcizados. (Ver o título Exorcismo no índice). Aprenda como proceder.

Não funciona a persuasão que os Kardecistas chamam de doutrinação. Aliás, a doutrinação não funciona nunca. E é um grave erro, que os irmãos kardecistas, por fidelidade incondicional à doutrina de seu codificador não se apercebem que os mesmos espíritos sempre voltam naquele local ou em outro, pois o que lhes agrada, na verdade, é a discussão, é poder conviver e manter um relacionamento estreito com os encarnados. Não sabem eles que, embora para os espíritos, o tempo seja infinito estão roubando tempo finito de seus doutrinadores, que executam seu trabalho de boa-fé. Quem executar o primeiro exorcismo verificará logo a eficácia do método. Aliás, um erro crasso é ir à casa do possuído para praticar o exorcismo, que deve ser sempre praticado com o exorcista fora da casa onde se encontra o obsedado. Tentar o exorcismo com o obsedado presente é prova de despreparo e vaidade, e pode ter resultado extremamente perigoso. O capítulo que trata do assunto entra em pormenores e explica passo a passo o procedimento seguro.

Nada mais é do que doutrinadores representando um papel como no teatro e espíritos fingindo que estão aceitando. Esse erro pode até gratificar o ego de quem pensa honestamente que está praticando a caridade, mas não resolve o problema. As entidades sempre voltam. Quem é assíduo freqüentador de sessões espíritas ou é clarividente vai constatar isso com facilidade.

Só o exorcismo é definitivo.

Assim mesmo se a entidade não for chamada de volta. É o que acontece quando falamos constantemente no morto.

No caso de parentes já falecidos e que têm seus nomes constantemente lembrados. A relação pode voltar a restabelecer-se. É o caso das cerimônias religiosas. Pelo falecimento, sétimo dia, ano, etc. que não deixam o espírito repousar em paz. São verdadeiros atos de magia negra praticados de boa-fé.

Um costume de diversas religiões. Essas cerimônias em nada, absolutamente, em nada, ajudam a elevação espiritual do falecido.

Como reconhecer um vampiro?

Os encarnados, pela observação.

Os encarnados costumam ter o hábito de tocar algumas partes dos corpos de suas vítimas. O pulso, o cotovelo, a região epigástrica no umbigo, a nuca e outros pontos menos comuns no contato diário.

Todos os pontos onde é possível injetar medicamentos são pontos perigosos.

Os chacras são pontos que o vampiro experiente procura instintivamente.

O vampiro emocional é o que apela para os sentimentos, aproxima-se com lamúrias, pedindo alguma coisa. Tenta grudar na vítima. É o mais comum e perigoso. Chega a atravessar a rua para “atacar” suas vítimas.

Os desencarnados, que são encostos, podem ser identificados.

Usando-se um pêndulo radiestésico consagrado, podem ser identificados como qualquer outro tipo de obsessor.

Esse método é descrito passo a passo no capítulo Exorcismo.

As pessoas que não acreditam que o vampirismo seja possível também estão sujeitas a ele?

O vampirismo ocorre independentemente de se crer ou não que seja possível.

Sacerdotes em geral, pastores, padres, rabinos estão sujeitos ao vampirismo?

Qualquer ser vivo está sujeito ao vampirismo. Ignorá-lo não evita as consequências.

O que fazer para evitar os vampiros?

Primeiro: reconhecê-los pelos comportamentos que evidenciam e evitá-los, se possível.

Os olhos não se fixam. Estão sempre procurando a vítima. Quando adentram um recinto, os vampiros dão uma olhada geral e se fixam em uma vítima próxima e costumam iniciar uma conversa sem nexo para atrair a atenção.

O vampiro tem um dom parecido com o do carisma. Sempre é notado. Entretanto, sua aproximação causa mal-estar, exceto para os que com ele têm afinidade. Adora discussões sem fim e apertos de mão prolongados.

O vampiro elege sua vítima. Não fique a sós com ele. A presença de mais pessoas o desconcerta.

Como se defender?

Use junto ao corpo uma turmalina negra em estado bruto (ela pode quebrar). Essa pedra ajuda a evitar a sucção de energia.

Use sempre uma pedra de sal bruto junto ao corpo. Ela deve ser descartada e jogada na rua para ser dissolvida pela chuva. Jogue fora antes de entrar em casa, troque-a por uma nova diariamente antes de sair de casa. A vantagem do sal é que se dissolve com a chuva, não permanecendo a impregnação.

Tome um banho de sal bruto com uma colher de bicarbonato de sódio sempre que estiver em dúvida. O banho deve ser do pescoço para os pés.

Reze sempre pelo menos duas vezes ao dia: ao acordar, imediatamente, para aproveitar o estado alfa, e ao recolher-se. Peça a proteção de seu Santo Anjo de Guarda.

Florestas e lugares de flora exuberante restauram as energias perdidas.

As plantas captam energias negativas.

No passado, era costume manter pássaros, gatos, cães e outros pequenos animais dentro das casas. Esses pobres animais são os primeiros a sofrer a ação dos vampiros de qualquer dos tipos. Alguns Magos ainda observam essa prática.

Em outra parte desse livro, quando tratamos de Formas e Rituais de Proteção, abordamos outras defesas e ataques a vampiros.

No antigo Egito, os sacerdotes criavam, nos templos, desde pequenos, gatos e cães.

Estes animais serviam de alarme natural. Os gatos, considerados sagrados, limpam o ambiente dos obsessores; já os cães, começam a ganir na presença deles, dão o aviso, e latem na presença de intrusos.

Centenas desses animais foram encontrados em túmulos recompensados com a mumificação, acompanharam seus donos na “Grande Viagem para a Eternidade”.

Os egípcios cultuavam o gato, na forma da deusa Baste.

O vampiro encarnado no relacionamento amoroso.

Ou o encarnado obsedado por um espírito vampiro.

Na relação amorosa, a vítima passa a sofrer de dores de cabeça constantes, sente sono, dormindo além do normal. Com o tempo, surgem alergias, perda súbita de peso, tosse seca, irritabilidade, desânimo, prostração, alterações bruscas de humor, astenia, perda de interesse sexual, tendência a beber e ao uso de drogas estimulantes.

Esses sintomas podem ocorrer também na presença de encostos vampiros.

Frequentes acidentes com perda de sangue, também são um sinal.

Pessoas acompanhadas de vampiros desencarnados cortam-se com facilidade.

Existe vampirismo entre parentes?

Sim. A egrégora familiar pode favorecer tanto a doação de energia quanto o vampirismo.

É recomendável que crianças durmam em camas e quartos separados dos adultos, pois elas estão mais sujeitas ao vampirismo, ainda que involuntário.

É o caso de pessoas idosas. Facilmente se apegam a alguém mais jovem e sem o saberem sugam energia vital. Médicos, enfermeiros, dentistas e auxiliares que manuseiam pacientes correm risco de serem vampirizados.

Alguns outros comportamentos podem caracterizar vampirismo

Egoísmo, inveja e avareza.

E no trabalho, como agir?

No ambiente de trabalho fica mais fácil descobrir vampiros, pois temos mais tempo para observar os colegas. Uma vez detectados, proceder como já ensinado.

Qual é a pior forma de vampirismo?

A sexual. A compulsão e a ninfomania caracterizam essa fome insaciável (nosso grifo). O sêmen é a essência da vida. O homem costuma ficar em estado de exaustão total após a relação com uma vampira.

O sadomasoquismo é um comportamento que abriga grande número de vampiros.

O uso adequado das energias vitais pode levar o ser humano à luz, ou o inadequado à desgraça e à amargura.

Como epílogo:

Enfrentar a situação sem medo, orar e vigiar, ter fé em Deus e autoconfiança.

Obs. No capítulo que trata de exorcismo o assunto é esgotado, não cabendo seu estudo agora.

Amorosamente, Mago Selaht

por.fi.ri.a. sf (porfir(ina) +ia1) Med Doença do metabolismo que se caracteriza pela excreção de grandes quantidades de porfirinas pela urina e pela excessiva sensibilidade da pele à luz, de tal modo que mesmo uma curta exposição aos raios do sol causa forte ruborização e formação de bolhas. Michaelis –

porfirina . [Do gr. porphura, 'púrpura', + -ina3.] S. f. Quím. 1. Cada um dos grupos vermelho-escuros ou púrpura-escuros de derivados do pirrol, isentos de ferro ou de magnésio, que existem universalmente no protoplasma e compõem os pigmentos respiratórios de animais e plantas.

Novo Dicionário Aurélio.

 

Sua casa tem memória própria
Mago Selaht

O padrão vibratório de uma casa tem relação direta com a energia e o estado de espírito de seus moradores Tudo o que pensamos e fazemos, as escolhas, os sentimentos, sejam bons ou ruins, são energias, isso se chama impregnação.
 
O resultado dessa impregnação se reflete nos ambientes da casa, nas pessoas e situações.

O corpo é nossa primeira morada material e nossa casa, sua extensão. É ela que nos acolhe, protege e “guarda” nossa história.

Tatuagens, mesmo que temporárias emitem energia de forma Yantras (sânscrito)que alteram essas energias. Assim como amuletos e outros atavios, mesmo que essa não seja a intenção.

Da mesma forma que limpamos, nutrimos e cuidamos da vibração de nosso corpo, devemos estender esses cuidados e carinhos ao lar, fazer de nossa casa um lar de amor.

Escolher o imóvel e enfeitá-lo com móveis e objetos principalmente os vindos de antiquários, muitas vezes guiados apenas por modismos ou pura praticidade. A elaboração da atmosfera de um ambiente é importante porque reflete a personalidade de seu dono, dando pistas sobre seus gostos, estilo de vida, história e sonhos. É comum a expressão a casa parece com o dono.

Há quem acredite que, colocando cristais, sinos de vento, fontes, espelhos, instrumentos do feng shui, é possível atrair bons fluídos e equilíbrio para dentro de casa.

Mas, é muito pouco, pois a personalidade de um ambiente vai além.

Ela é conseguida dia após dia, não apenas com técnicas, mas com pequenos atos de carinho e com muita energia boa. Além de atrair bons fluídos para nosso lar, temos todas as condições de criá-los no interior do próprio ambiente.

 Em conjunto, pensamentos, sentimentos, estado de espírito, condições físicas, anseios e intenções dos moradores ficam (1) impregnados no ambiente, criando o que se chama de egrégora (grego).

Quem, já não esteve em uma residência ou ambiente onde sentiu um profundo bem-estar e sensação de acolhimento, independe da beleza, luxo decoração ou outros fatores externos?
Essa atmosfera agradável, sem dúvida, é dada principalmente pelo estado de espírito positivo de seus moradores, mas objetos antigos introduzidos no ambiente, podem alterar o equilíbrio energético positivo.

Infelizmente, hoje em dia, é muito comum entrarmos em ambientes que nos oprimem ou nos dão a sensação de falta de paz e, às vezes, até de sujeira, mesmo que a casa esteja limpa.
A vontade é ir embora rapidamente, ainda que sejamos bem tratados. O que poucos sabem é que as paredes, objetos e a atmosfera da casa têm memória e registram as energias de todos os acontecimentos e do estado de espírito de seus moradores.

Para ter a “saúde energética de sua casa”, tome a iniciativa básica e vital de impregnar sua atmosfera apenas com bons pensamentos e muita fé (2)

Evite brigas e discussões desnecessárias. Observe seu tom de voz: nada de gritos e formas agressivas de expressão.

Não bata portas e tente assumir gestos harmoniosos, cuidando de seus objetos e entes queridos com carinho. Não pense mal dos outros. (3) Pragas (maldições) nem pensar! Selecione muito bem as (4) pessoas que vão frequentar sua casa. Festas, brindes e comemorações alegres são bem-vindas porque trazem alegria e muita energia, mas cuidado com os excessos. Nada de bebedeiras e muito menos uso de drogas, que atraem (5) más energias.

Se você nutre uma mágoa profunda ou mesmo um ódio forte por alguém, procure ajuda psicológica para limpar essas energias densas de seu coração.

Lembre-se que sua casa também pode estar contaminada ou ser (6) contaminada. Aprenda a fazer (6) escolhas e determine o que quer para sua vida e ambiente onde mora.

Alegria, amor, paz, prosperidade, saúde, amizades, beleza já estão bons para começar, não é mesmo? Reflita sobre como você vive em sua casa, no que pensa, como anda seu humor e reclamações do seu dia-a-dia.
 
Tudo isto interfere no seu astral.
  
" Um lar só prospera se houver harmonia e equilíbrio energético"
“O Amor é a Chave do Universo” Anjo M :.

Notas do Mago Selaht

Casa nova: a escolha do terreno. A ajuda de um radiestesista pode ajudar na escolha do local ideal. Preparação do terreno isolando a nova construção do solo adequadamente, faça o radiê de superfície e cubra com uma camada de piche ou asfalto e a edificação poderá ser erguida sobre o mesmo dentro de condições ideais. É um bom começo para uma futura casa harmoniosa.

(1) Impregnação, a palavra “prenhe” ou grávida tem a mesma raiz. Quando uma mulher tem relações com mais de um homem a energia vital levada pelo esperma e pelo suor permanece no campo vibratório como uma assinatura, mesmo não resultando em gravidez a história “lavou está limpo e mito”
(2) FÉ - Acredite no poder da oração. Junto ao poder de volição, tenha certeza de que seu desejo será realizado. Esse é um dos dons dado por D’us veja na Bíblia dons do Espirito Santo.
(3) Na praga, como na Benção é exercido o poder de criar pela volição (2) esse é o perigo da energia liberada, e o consequente choque de retorno, qualquer que seja ela.
(4) Não convide para entrar quem você não conhece, essa é uma das maneiras de o mal penetrar em sua casa. Encarnados e desencarnados (encostos) entram juntos dessa forma, quando convidados
(5) O bem e o mal são energias e podem impregnar ambientes da mesma forma.

(6) Leia de novo o (3), (4) e (5)
 

O Poder de “Volição”
Mago Selaht

Talvez a mais importante de todas as leis mentais seja a Lei da Crença. Segundo esta lei, tudo aquilo em que se acredita com convicção torna-se real. Você não acredita no que vê; você vê aquilo em que acredita.  Isso é uma afirmação Bíblica, o conjunto de livros inspirados com esse título geral é repleto de magia, para quem é capaz de ver!
Você não é o que pensa que é; mas aquilo que pensa, você efetivamente é. Na realidade, enxerga seu mundo através de uma lente de crenças, atitudes, preconceitos e ideias preconcebidas.
Provérbios 23:7 diz que assim como um homem "pensa no coração, ele é". Isto significa que você sempre age exteriormente com base em suas mais profundas crenças e convicções.
A crença popular que diz: não fale ou pense uma coisa ruim, porque os Anjos podem dizer Amem e seu desejo se cumpra, é a mais pura verdade.

Volição (lat.)  significa desejo, desejar que algo se torne real.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Portal Mensageiro - O Portal da Sabedoria